Carta à Paróquia Nossa Senhora de Fátima

Diocese de Guajará-Mirim - RO

Guajará-Mirim, 06 de março de 2019.

Caríssimos (as) Irmãos (ãs) Povo de Deus, Paróquia N. Sra. de Fátima Distrito de Nova Dimensão Município de Nova Mamoré

Os que seguem a Jesus e o anunciam pela Palavra e pelo Testemunho formam a comunidade, a Igreja. É com esta convicção, que saúdo e agradeço de todo o coração a missão assumida e continuada por vocês, nossos coordenadores, pastoralistas, funcionários, ministros da Palavra e da Comunhão, conselhos, comunidades e todos que como Igreja são a presença do Reino na sociedade.

Nesta paróquia dedicada a N. S. de Fátima, estamos vivendo um Tempo que exige de nós, comunidade evangelizadora, uma comunidade dinamizada pela misericórdia.

Após o retorno do Pe. Dutra Fonseca Baião para sua Diocese de origem - Bom Jesus do Gurguéia - Piauí, onde é incardinado e reside, recebi o sentimento de gratidão do seu Bispo Dom Marcos Antônio Tavoni pela acolhida missionária em espírito de comunhão solidaria entre Igrejas particulares (Diocese de Guajará-Mirim — Diocese de Bom Jesus do Gurguéia), pois reconhecemos que: “somos Igrejas pobres, mas devemos dar a partir da nossa pobreza e a partir da alegria de nossa fé” (DAp. 379).

Desde janeiro estamos sem padre residente nesta paróquia. Além desta dolorosa situação, já é do conhecimento de todos que a missão das Irmãs Franciscanas do Coração de Jesus será concluída no final deste semestre.

Atualmente a comunidade religiosa residente em Palmeiras — L20 conta com as Irmãs Suzete e Anaide. E ao longo destes doze anos de missão, quantas semeaduras feitas e frutos colhidos, graças ao espírito missionário das Irmãs, que para esta paróquia foram enviadas. Portanto, resta-nos agradecer e continuar na firmeza da fé, orando pela grandeza da messe diante de tão poucos operários/as.

Daí a importância ainda maior do Vosso apostolado como leigos e leigas na diversidade de ministérios e serviços para que tudo possa transcorrer na responsabilidade, diálogo, respeito e comunhão. É a espiritualidade do cuidado que deve preparar todo e qualquer trabalho aqui

realizado! A minha exortação é que vivamos à alegria da fé, afinal Jesus Cristo nos atraiu! Como bem afirma São Paulo: “Julgo que tudo é prejuízo diante deste bem supremo que é o conhecimento do Cristo Jesus, meu Senhor. Por causa Dele, perdi tudo e considero tudo como lixo, a fim de ganhar Cristo e ser encontrado unido a Ele (...) Mas continuo correndo para alcançá-lo, visto que eu mesmo fui alcançado pelo Cristo Jesus” (FI. 3,8-9.12).

Acredito que “Uma profunda gratidão nasce em toda a pessoa que foi encontrada por Deus em Jesus Cristo. Gratidão que expressa a positividade da fé e que mantém viva a esperança no mundo transformado pela morte e pela ressurreição de Jesus. Os seguidores e seguidoras de Jesus não se deixam abater pela contradição, pela violência, pela injustiça. Alimentados pela gratidão do encontro vislumbram sempre o novo céu e a nova terra. Saem ao encontro dos irmãos e irmãs, despertando-os para a beleza da Boa-Nova.” (CF 2019 ). Neste ano litúrgico de 2019 (Ano C), temos como referência o Evangelista Lucas, e hoje, quarta-feira de Cinzas já entramos no novo tempo litúrgico que é a Quaresma, Tempo de revisão, conversão à transformação.

Neste tempo quaresmal, em particular, a “Igreja no Brasil oferece uma realidade a ser meditada, refletida, rezada. Neste ano, somos chamados a ver e a participar da realidade das Políticas Públicas. Fraternidades e Política Públicas é o tema da Campanha da Fraternidade. Como cristãos, somos chamados a participar da transformação da sociedade. Um modo de sermos cristãos ativos é ajudar na proposição, discussão e execução de Políticas Públicas para que as pessoas possam ser libertadas pelo direito e pela justiça. O que são Políticas Públicas, qual a sua importância e nossa participação como cristãos nelas fazem parte da caminhada da nossa Campanha da Fraternidade deste ano.” (CF 2019). Diante destas realidades, que envolve comunico a todo o povo de Deus desta Paróquia, que no momento não dispomos de Padres e Irmãs para estabelecer residência junto de vós, por conta disso, eu, bispo diocesano responderei pela mesma, assumindo todas as atividades pastorais e administrativas.

Dentro do possível receberemos colaborações diversas da própria região pastoral sede; inclusive a Semana Santa será assumida por Pe. Reginaldo Alves — Vigário Paroquial da Paróquia São Francisco de Assis — Nova Mamoré.

Conforme já anunciei em reuniões anteriores (janeiro e fevereiro/2019), as orientações pastorais oficiais serão oferecidas pelo serviço de secretaria paroquial. Para que tudo transcorra na serenidade, com efetiva ação missionária conto com vossa compreensão e Colaboração.

Rogo a N. S. do Seringueiro e N. S. de Fátima que nos cubra com seu manto.

Recomendo as vossas orações, Deus continua nos abençoando.

Benedito Araújo

Bispo Diocesano