O CATEQUISTA e a sua missão: EDUCAÇÃO DA FÉ

Assembleia Diocesana da Pastoral da Catequese - 17 de Março de 2018

Todo último domingo do mês de agosto, a Igreja no Brasil celebra o DIA DO CATEQUISTA, que dentro do mês vocacional, também é dedicado ao leigo.

A maior expressão do laicato hoje dentro da Igreja está no serviço de CATEQUISTA. Só em nossa diocese, somos 944 catequistas. E como educadores da fé, fazemos parte da equipe de ANIMAÇÃO BÍBLICO CATEQUÉTICA que, juntamente com a ANIMAÇÃO BÍBLICA LITÚRGICA, formamos os dois pilares essenciais da ação evangelizadora da Igreja no Brasil.

É uma missão fundamental, e a maior riqueza está em valorizar e reconhecer a importância da catequese como ensinamento essencial da fé, pois se é priorizando esse pilar, seja na Paróquia seja na comunidade, que o ensinamento da fé se torna uma base sólida, visível como fermento na massa.

O catequista está a serviço da iniciação à vida cristã. É uma formação gradual e contínua, onde iniciamos crianças, adolescentes, jovens e adultos no processo de educação da fé e nos três sacramentos iniciais (BATISMO, CRISMA E EUCARISTIA). Nosso principal objetivo é ser uma ponte entre o catequizando e Jesus, fazendo com que eles façam uma experiência do amor de Deus através do anúncio do Querigma.  Depois, dedicamos através dos encontros de catequese e celebrações litúrgicas, o estudo do conteúdo da fé, entrar na vida dos sacramentos, estudo da moral cristã e buscar ter uma profunda vida de oração. E a Bíblia se torna a centralidade dos encontros aperfeiçoando o método orante de escuta e prática cotidiana, FÉ e VIDA.

Importante mencionar que a catequese (ensinar) remonta à época apostólica, prática nas primeiras comunidades, sec. I e II. Já nos séculos III e IV elaborou-se o catecumenato que dava formação sistemática e celebrativa aos que queriam se tornar discípulos de Jesus. Mais tarde, na Idade Média, a fé cristã se encarnou na religiosidade popular; na época moderna, acentuou-se o conhecimento doutrinal da formação religiosa. E desde o século XX, principalmente após o Concílio Vaticano II, fortaleceu-se uma catequese mais bíblica e celebrativa. Por isso, ser catequista é dar continuidade ao ministério da Palavra iniciado por Jesus e transmitida aos apóstolos. A catequese é uma tradição oral, contada, passada, ensinada de geração em geração. “O catequista dedica-se de modo específico ao serviço da Palavra, tornando-se porta-voz da experiência cristã de toda a comunidade. O catequista é, de certo modo, o intérprete da Igreja junto os catequizandos. Ele lê e ensina a ler os sinais da fé” (CR 145).

A nossa Diocese de Guajará-Mirim, pelo atual senso, conta que nós catequistas, estamos à serviço em todas as paróquias. Na região Sede, coordenado pela catequista Hingry, temos a conta de 60 catequistas em cada uma das Paróquias, N. S. Seringueiro e N. S. Aparecida, na cidade de Guajará-Mirim, e os coordenadores paroquiais são, Ronaldo e Eudiene, respectivamente. Em Nova Mamoré, a paróquia São Francisco de Assis, tem 45 catequistas, a Marlene é a coordenadora; São 71 catequistas em Nova Dimensão (N. S. de Fátima) o Odair José é o coordenador paroquial. Na região Centro, a coordenadora é a Marli, e, nas paróquias São Francisco de Assis (cidade de São Francisco), tem 75 catequistas, o Anselmo é o coordenador; na Basílica Menor (Costa Marques) tem 45 catequistas, a Marli é a coordenadora.  Em São Domingos de Gusmão, distrito de São Domingos, há 26 catequistas, a Edna é a coordenadora. Em Seringueiras, o padre Francisco coordena 90 catequistas. E, em São Miguel Arcanjo é o Edson quem coordena 153 catequistas. Já na Região Sul, a Maria José faz a articulação das paróquias de Cristo Rei (Cabixi), que tem 62 catequistas e é coordenada pela Maria Aparecida; N.S. Perpetuo Socorro em Corumbiara com 60 catequistas, tem a Olga como coordenadora; A paróquia Cristo Rei (Cerejeiras) conta com 85 catequistas, Ana Maria é a coordenadora paroquial e na paróquia N. S. Aparecida, cidade de Colorado D’Oeste tem 112 catequistas e a Maria José as coordenam. Nestas regiões queremos lembrar que há o trabalho de assessoria do clero, da Ir. Luciana, Pe. Renato e Ir. Rosangela.

Temos ainda, os catequistas que coordenam a catequese diocesana, Maria Cristina, Mª Rosangela e Eudiene. Vale ressaltar, que além de mim, a nova coordenação que assumirá a partir da próxima assembleia em 2019, são os catequistas Ronaldo, Sueli e Francisco, não se esquecendo da assessoria do Padre Willian, de Colorado, que nos auxilia e orienta na caminhada e projetos pastorais.

Nós catequistas semeamos, mas sabemos que quem faz florir é o Senhor. Que neste dia 26, domingo, possamos celebrar, festejar e louvar a Deus pela vocação mais linda dentro da Igreja: catequista por amor, vocação e doação.

 

Maria Cristina

Coord. Diocesana da Past. da Catequese